Nenê defende Zé Ricardo e diz que a torcida as vezes ‘atrapalha’

Líder do elenco do Vasco, Nenê é mais um jogador a defender o trabalho do técnico Zé Ricardo, que bastante pressionado, convive constantemente com as críticas dos torcedores e conselheiros do clube. O meia garantiu que a culpa pelos maus resultados é exclusivamente dos jogadores e citou o jogo passado, contra o Tombense.

“No jogo contra o Tombense, como a nossa torcida é muito apaixonada e está em todos os lugares, isso acaba nos empolgando e nos desorganizando.” disse Nenê

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE



Isso não é culpa do treinador, ele fez uma estratégia. A culpa foi nossa. A gente também tem que assumir esse papel. A gente não pode desorganizar e fazer algo diferente do que foi treinado a semana toda”, revelou Nenê, que seguiu com a explicação.

“Aí acaba tomando um gol e a torcida começa a nos empurrar e, até eu que sou mais experiente, acabo indo nessa empolgação, de fazer o gol, de atacar de qualquer maneira, do jeito que a gente não treinou. Aconteceu no primeiro tempo contra o Tombense. Ficou muito visível. No intervalo o Zé estava muito chateado, conversou com a gente, melhoramos muito no segundo tempo e quase viramos o jogo. É um peso e uma impaciência que acaba afetando o grupo, que quer ganhar de qualquer maneira e não é assim. Não é só culpa do Zé”.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE



Além de citar a ansiedade para explicar a desorganização da equipe, Nenê afirmou que o peso do fracasso de 2021 tem atrapalhado os jogadores a manterem o equilíbrio emocional.

“O torcedor sofreu muito ano passado por não ter subido, mas isso acaba afetando a gente. Estamos no campeonato há cinco jogos e falam que estamos fora do G4 a mais de 40 rodadas. O que aconteceu ano passado, acabou. Agora é uma coisa nova, time novo. A gente não é o Bahia, que estava na Série A e manteve a base, treinando junto há dois anos. Claro que a gente quer o resultado imediato, mas infelizmente isso não acontece. Agora que a gente está começando a encorpar, criando uma identidade”, opinou Nenê, que completou.

“Peço que a torcida entenda, todos estão dando tudo de si dentro de campo, mas algumas coisas acabam fazendo a gente oscilar. É uma pressão normal e time grande como o Vasco tem que saber levar isso aí, só que às vezes, emocionalmente e involuntariamente acaba afetando. ‘A torcida está aqui, vamos atacar assim, vamos defender’ e isso acaba desorganizando. O apoio em Muriaé estava maravilhoso, o clima, todos cantando e isso às vezes acaba atrapalhando, mas não é culpa do Zé. A culpa é nossa. Precisamos do apoio, mas não podemos nos afetar na organização do time e isso recai sobre o Zé”.

Nenê também revelou como está a sua condição física para a partida de sábado, contra o CSA, em São Januário. O meia vem se tratando para estar inteiro e afirmou que não teve lesão no músculo posterior da coxa direita, mas apenas um incômodo.

“Não teve lesão, eu acho que apenas uma fadiga muscular por causa dos jogos, da viagem, do campo e eu devo ter feito algum movimento que forçou um pouco mais. Fiquei esses dois dias recuperando, tratando e espero não ter nenhum problema para o jogo. Acho que isso é uma notícia boa. Fiquei preocupado depois do jogo, mas como não teve lesão detectada, isso me deixa muito feliz”.

A expectativa é de que Nenê trabalhe sem restrições nesta quinta-feira, na atividade com bola junto aos outros jogadores. Caso se confirme, Nenê estará em campo na próxima rodada da Série B.

Fonte: Jogada10