Bitencourt e Luis Manuel Fernandes não assinaram parecer e apontam riscos da venda da SAF do Vasco

No parecer da Comissão Especial do Vasco sobre a proposta da 777 Partners pela compra da SAF, divulgado neste sábado, chama atenção a falta de assinatura de dois dos 15 membros responsáveis pela análise dos contratos. Os beneméritos Alexandre Bitencourt e Luís Manuel Fernandes elaboraram um outro documento pontuando os riscos do processo e que servirá de base para a discussão no Conselho de Beneméritos. 

– Nós elaboramos um parecer em separado que foi protocolado hoje (sábado) no clube apontando o que entendemos ser “riscos críticos” da operação. Esse parecer servirá de subsídio para a deliberação do Conselho de Beneméritos sobre a matéria – disse Luís Manuel Fernandes ao ge. 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O principal risco crítico a que Luís Fernando se refere é que não há garantias efetivas que a SAF mantenha investimentos elevados no futebol após o período dos aportes iniciais, ou seja, depois de 2026. 

No parecer da Comissão Especial, os membros destacam que há um compromisso de investimento mínimo da 777 no futebol até 2026, com valores pré-determinados para 2022 e 2023 e, a partir de 2024, o investimento mínimo corresponde ao maior valor entre “determinado percentual das receitas líquidas anuais da 777 no ano anterior ou um valor fixo, que é consideravelmente maior do que o maior orçamento do futebol que o CRVG já teve em qualquer ano de sua história”. 

A partir de 2027, porém, o que consta no documento é que “a SAF envidará os seus melhores esforços para que (a) possua e aprove anualmente um Orçamento que compreenda um Orçamento de Futebol que esteja sempre entre os cinco maiores orçamentos do futebol brasileiro, ou (b) apresente performance esportiva, assim considerado o atingimento de metas de classificação e títulos nacionais e internacionais”. 

Fonte: ge



  


PESQUISA NA WEB GOOGLE