Entre R$ 3 milhões e R$ 7 milhões do empréstimo-ponte da 777 serão direcionados para contratações visando a Série B



Em três meses, o Vasco perdeu três vezes seguidas para o rival Flamengo, foi derrota em todos os cinco clássicos e foi eliminado da Copa do Brasil pela Juazeirense. As atuações criaram preocupação na diretoria cruzmaltina. Tanto que houve negociações dos dirigentes alvinegros com o fundo 777 Partners —com quem tem acordo inicial de venda da SAF— para investir parte dos recursos iniciais em reforços imediatos para Série B. 

Os sócios do norte-americano 777 Partners estiveram no Brasil durante última semana. Houve discussões sobre Maracanã, São Januário e gestão do clube e do time. 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE



Nas conversas, dirigentes vascaínos manifestaram que seria necessário destinar uma parte dos R$ 70 milhões de empréstimo para formar o time da Série B. Inicialmente, esse dinheiro seria usado só para resolver problemas de fluxo de caixa. Até porque o clube tem diversos problemas de dívidas e dinheiro para resolver. Por isso, a ideia era sanar questões de finanças. 

Mas os resultados ruins no Carioca e Copa do Brasil mudaram a opinião dos cartolas e dos executivos. No domingo, dirigentes do 777 Partners —Josh Wander e Steve Pasko— estiveram no Maracanã para o clássico com o Flamengo. No jogo, perceberam que havia limitações técnicas no time e deram razão à diretoria do Vasco. 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE


Com isso, há a intenção de destinar entre R$ 3 milhões e R$ 7 milhões para aquisições de atletas antes da Série B. O Vasco avalia que já tem um dos maiores orçamentos da Segundona apesar dos problemas financeiros. Mas houve o entendimento de que será preciso investir para ter um time que garanta o acesso com medo de repetição do que ocorreu em 2021, quando o time não subiu. 

A destinação do dinheiro para reforços não necessita de alterações no MOU feito entre Vasco e 777 Partners. Já havia previsão de colocar parte dos recursos com esse fim, mas desde que tivesse aprovação dos executivos do fundo. Foi apresentado um plano de reforços imediato, e eles toparam. 

Até porque a Assembleia Geral de Sócios para aprovação da SAF só tem previsão para junho, isto é, no meio da Série B. 

Além do investimento no futebol, houve conversas sobre a reforma de São Januário e a intenção de participar da gestão do Maracanã. Não está fechada a estratégia para esses dois temas. 

Fonte: UOL