Presidente do Athletico-PR critica valores de venda das SAFs: ‘É o preço de um jogador’ 

O presidente do Athletico, Mario Celso Petraglia, criticou os valores envolvidos nas vendas das SAF´s (Sociedade Anônima do Futebol) de clubes como Botafogo, Cruzeiro e Vasco. Os dois primeiros foram negociados por R$ 400 milhões com 90%, enquanto o segundo está prestes a fechar por R$ 700 milhões em 70%. 

Sócio da 777 Partners revela planos para o Vasco

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE



“O que estamos vendo atualmente são os clubes se entregando a investidores por preços absurdamente baixos. É o preço de um jogador” 
— Mario Celso Petraglia, ao UmDois Esportes 

Como comparação, o atacante Neymar é a maior venda do futebol brasileiro. Em 2013, o Barcelona pagou 88,4 milhões de euros para o Santos – na cotação atual seria R$ 514 milhões. Vinicius Junior (Flamengo) e Rodygo (Santos) custaram 45 milhões de euros para o Real Madrid, que dariam R$ 261 milhões em 2022. 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE



Mundialmente, a transferência de Neymar para o PSG em 2017 foi a maior contratação do mercado, ao custo de 222 milhões de euros – na conversão fica em R$ 1,2 bilhão. Mbappé e Philippe Coutinho aparecem logo atrás por 145 milhões de euros (R$ 843,5 milhões). 

O mandatário do Furacão pontua que as negociações atuais sobre as SAF´s são reflexos da forma amadora que o futebol brasileiros viveu nas últimas décadas. Ele também cita o calendário cheio de jogos, com pouco tempo de descanso, como um dos motivos, além da desvalorização do produto para ser vendido ao exterior. 

Os sócios do Athletico aprovaram a mudança para clube-empresa em novembro do ano passado. O exemplo de modelo prevê a criação da CAP SAF com uma ação de propriedade Classe A e 100% de ações Classe B.

A Classe A representa o chamado “Golden Share”, que dá direito à FUNCAP de veto nas futuras decisões do clube. A entidade poderia vetar mudanças radicais no clube, como mudança de cidade, das cores, símbolos, entre outros. Já as ações da Classe B seriam divididas 50% entre o Athletico e 50% entre os investidores. 

Segundo Petraglia, o Furacão avalia sua posição e valor de investimento no mercado para poder ter argumentos em uma eventual venda.

“Tenho várias propostas, mas vou fazer avaliação , quero saber o quanto valemos. Temos um modelo que nos interessa da melhor forma, mas vamos ver como o mercado reage.”
— Mario Celso Petraglia, ao UmDoi Esportes 

Fonte: Ge