Vasco negocia reforma de São Januário com a 777 Partners, enquanto tenta participar da gestão do Maracanã

Paralelamente à expectativa da injeção de milhões no futebol com a possível criação da SAF, o Vasco trabalha em duas frentes quando o assunto é estádio. O clube planeja iniciar a reforma de São Januário até 2023, conversa com a 777 Partners sobre o assunto, mas também tem interesse em participar da licitação do Maracanã. 

O cenário ideal para a gestão de Jorge Salgado é ter São Januário completamente reformado e modernizado, mas usar o Maracanã quando bem entender, especialmente em partidas de maior apelo de público.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE



A modernização de São Januário é uma meta de Jorge Salgado, que planeja que as obras comecem antes do fim de seu mandato, em 2023. Em caso de venda da SAF para a 777 Partners, o clube social continuará como proprietário do estádio, que será alugado por 50 anos – com opção de mais 50 – para o grupo americano. 

Há conversas em andamento e uma predisposição para que a reforma seja financiada pela 777 Partners, que será a inquilina de São Januário caso a venda da SAF seja aprovada pelos sócios. É interesse dos americanos ter um estádio moderno. 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE



Não há em contrato, no entanto, nenhuma obrigação do grupo americano quando à modernização. O acordo inicial prevê apenas que os investidores assumam os custos do complexo, mas há interesse na reforma de São Januário. 

O Vasco projeta que sejam necessários entre R$ 350 milhões e R$ 400 milhões para modernizar e fazer um “novo estádio” dentro de São Januário. Esso valor pode vir da 777 ou de outro investidor

– Conversamos sobre São Januário com a 777 Partners. O estádio vai permanecer com o Vasco. Eles entendem, como nós, que São Januário é um estádio antigo e precisa passar por uma modernização. Eles estariam dispostos a fazer um investimento para essa modernização. O estádio de São Januário certamente vai passar por uma modernização. A gente não sabe exatamente como será essa parceria. 

– Essa modernização ainda vai ser discutida, vamos ver quais condições vão ser negociadas nesse contrato, se eles pretendem explorar o estádio ou não, qual será a cota dessa receita para o Vasco. Tudo isso será negociado. Independentemente disso, eu já vinha construindo, antes da 777, uma viabilização de um novo estádio em São Januário, que está bastante avançada. É a minha meta antes do final do mandato dar o pontapé inicial da reforma do estádio. Estou trabalhando firmemente nisso. Agora com os americanos, mas já vinha trabalhando internamente. É um passo importante que temos que dar – disse Jorge Salgado, em encontro com jornalistas, nesta quarta, em São Januário. 

Maracanã: Fla é favorável, mas Flu dificulta negociação

O Maracanã também está nos planos do Vasco. Em abril do ano passado, o clube oficializou o interesse em participar da licitação do estádio. Atualmente a gestão do complexo é feita por Flamengo e Fluminense. 

Há conversas em andamento entre os clubes. O Flamengo, segundo Salgado, tem se mostrado favorável à participação do Vasco na licitação para reduzir os custos operacionais do Maracanã. O Fluminense, no entanto, tem colocado alguns obstáculos, segundo Jorge Salgado. 

Independentemente do acordo com os clubes, o Vasco quer participar da licitação. O clube prioriza a parceria com Flamengo e Fluminense, aposta no diálogo, mas pode decidir entrar sozinho na disputa caso não haja entendimento. O apoio da 777 Partners, nesse caso, seria fundamental. 

– O Vasco jogou no Maracanã em praticamente toda sua existência. E de repente o Vasco não está mais no Maracanã. Isso é um fator de enfraquecimento do Vasco no meu entendimento. Temos que voltar para o Maracanã. Não é uma coisa simples e fácil. Primeiro estamos tentando voltar através da diplomacia e do entendimento entre os clubes. 

– O Flamengo seria favorável à volta do Vasco ao Maracanã. O Fluminense coloca algumas dificuldades, já está lá dentro, acha que será difícil três clubes presentes ao mesmo tempo. Eu acho que tem solução para os três clubes. Vamos procurar esse entendimento e vamos esgotar isso até quando pudermos. Depois, se não houver o entendimento, nós vamos ver o edital e avaliar em que condições a gente pode participar e voltar ao Maracanã – ressaltou Jorge Salgado. 

Fonte: Ge